adubo para orquideas

Como adubar orquídeas com fertilizante

As Orquídeas, em suas muitas variedades, pertencem a uma das maiores famílias botânicas do mundo, presentes nos cinco continentes, mas, predominantemente nas regiões tropicais. Algumas das principais espécies crescem apoiadas sobre as árvores em busca de luz solar. Em regra, não são parasitas, nutrindo-se de folhas e frutos em decomposição que caem da copa das árvores e armazenando-se em suas raízes.

Adubo para orquídeas

A partir destas informações básicas, a tarefa de escolher o tipo de adubo para orquídeas pode torna-se mais fácil, assim como a base para o seu cultivo deve ser um substrato que forneça boa retenção de nutrientes e de água. Pois, na medida de sua decomposição os nutrientes são absorvidos pela orquídea através da água absorvida pela planta. Mas, como o substrato sozinho contem as quantidades necessárias de nutrientes, se faz necessária a fertilização do substrato com um bom adubo.

A fertilização é fundamental para o cultivo das orquídeas. Os principais fertilizantes indicados para as plantas das famílias das orquídeas são compostos de diversos elementos em pequena proporção chamados de macronutrientes: carbono (C), nitrogênio (N), oxigênio (O), hidrogênio (H), cálcio (Ca), fósforo (Po), potássio (K), enxofre (S), e magnésio (Mg).

Os fertilizantes, que podem ser sintéticos ou de origem orgânica, nutrem as plantas. Os adubos nitrogenados ajudam no crescimento da planta, enquanto os fosfatados favorecem a produção de energia e nas etapas de seu desenvolvimento como a floração e a produção de frutos, já os potássicos ajudam na retenção da água. Procure observar a porcentagem desse elemento principalmente se você for usar o adubo para uma orquídea jovem.

Desta forma, cada tipo de fertilizante, com proporções específicas de cada composto adequadas a cada tipo de orquídea, e a cada estágio de crescimento da planta. A classificação dos adubos para flores observa a quantificação de três componentes primários: Nitrogênio, Fósforo e Potássio, visando a nutrição adequada, como vista acima. Por exemplo:

– Orquídea jovem: necessita de mais nitrogênio (3N1PO1K)

– Orquídea na floração: precisa de fósforo (1N3PO2K)

– Orquídea após a floração: dose regular (1N1PO1K)

Os adubos sintéticos devem ser aplicados em intervalos de 15 a 20 dias, sempre observando as dosagens definidas pelo fabricante.

Os adubos orgânicos têm uma ação mais lenta no fornecimento de nutrientes, uma vez que a planta absorverá seus nutrientes no processo de decomposição de seus compostos. Um processo lento e parcelado, mas que proporcionará à planta uma nutrição mais duradoura.

A absorção dos nutrientes acontece nas orquídeas através de reações químicas que ocorrem em partes de suas folhas, chamadas estômatos, com o auxílio do dióxido de carbono e luz, proporcionando crescimento e saúde, que tornam as orquídeas brilhantes e viçosas.

A Vita Garden

A Vita Garden é uma empresa brasileira especializada no desenvolvimento de fertilizantes organominerais como o Fertilizante Adubo Vita Garden Orquídeas, à base de pescados marinhos, extrato de algas e melaço de cana-de-açúcar, produtos ricos em compostos orgânicos naturais.

A linha de adubos comercializados pela Vita Garden é composta com todos os macros e micronutrientes necessários para o crescimento saudável das plantas e favorecendo belas floradas e cores vivas, e fortalecendo a planta contra o ataque de pragas e doenças e pode ser aplicado via foliar através de pulverização e via solo através de regas.

Para aprender mais sobre o cultivo de orquídeas e de outras plantas, visite o Blog da Vita Garden.

Compartilhe este artigo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •